Carreiras Direito

Quanto ganha um advogado? Entenda a variação salarial

clique na imagem para se inscrever

Clique na imagem para se inscrever!!

Os jovens que estão ingressando ou pretendem ingressar no curso de direito na faculdade podem possuir muitas dúvidas em comum sobre a carreira de advocacia, mas uma é quase universal: afinal, quanto ganha um advogado?

Devido às diversas áreas profissionais e setores da sociedade em que um advogado pode atuar, é difícil apontar, de cara, o quanto você poderá ganhar após se formar e passar na prova da OAB.

Por isso, preparamos este artigo para ajudá-lo a entender o quanto um advogado pode ganhar. Vamos explorar as características do curso de direito, conhecer as diferentes áreas de atuação profissional, entender as variações dos salários e mostrar o que você pode fazer para aumentar suas chances de receber mais do que a média. Acompanhe!

O que é importante saber sobre o curso de direito?
O Direito é uma das ciências mais antigas da história da humanidade e cuida da elaboração e do cumprimento das leis e normas para manter o respeito e o bom convívio em sociedade. Nas universidades, públicas ou privadas, o curso de direito é um dos mais procurados pelos estudantes.

A graduação dura cinco anos e prepara o advogado para atuar em diversas áreas. O campo de trabalho é vasto para os profissionais do direito, que podem trabalhar tanto em escritórios particulares, quanto em grandes empresas, carreiras acadêmicas e cargos públicos — veremos as principais áreas de atuação mais à frente, neste post.

Grade curricular
Cada instituição possui sua grade curricular em ordem específica, contudo as principais disciplinas de um curso de bacharelado em direito incluem:

Introdução ao Direito;

Língua Portuguesa;

Teoria Geral do Processo;

Sociologia e Antropologia Jurídica;

Filosofia e História do Direito;

Ciência Política;

Economia e Finanças;

Psicologia Jurídica;

Direito Civil;

Direito Penal;

Direito Administrativo;

Direito Empresarial;

Direito do Consumidor;

Direito do Trabalho;

Direito Constitucional;

Direito Processual;

Direito Tributário;

Direito Eleitoral;

Direito Ambiental;

Direito Internacional;

Metodologia do Trabalho Científico;

Estágio Supervisionado e Prática Jurídica;

Comunicação e argumentação Jurídica;

Redação Técnica;

Ética Profissional.

Oportunidades de estágio
De acordo com a grade curricular dos cursos de direito, é obrigatório fazer estágio supervisionado para concluir a graduação. Em geral, as universidades já contam com um Núcleo de Práticas Jurídicas, onde os alunos desenvolvem atividades com supervisão e orientação de seus professores e, assim, entram em contato real com as funções da profissão de advogado.

Além dos estágios obrigatórios, o estudante também pode fazer estágios remunerados, em escritórios de advocacia ou empresas, e começar a trabalhar na área antes mesmo de se formar.

As oportunidades profissionais para estagiários permitem colocar em prática os conhecimentos teóricos adquiridos, desenvolver competências e habilidades e adquirir experiência, o que conta muito para o currículo.

O que fazer quando terminar o curso?
Você concluiu a graduação com sucesso e agora está pronto para atuar como advogado. Qual o próximo passo? Realizar o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A OAB é a entidade nacional que representa os interesses dos profissionais de advocacia e da sociedade. Se você exercer a profissão sem ter sido aprovado no exame da OAB, estará em condição irregular.

A prova da OAB é composta por duas etapas: uma com questões de múltipla escolha, sobre os principais conteúdos vistos no curso de direito, e outra no formato discursivo. Na fase discursiva, o aluno elabora uma peça jurídica e responde a perguntas específicas de uma área de sua escolha — penal, civil, trabalhista ou outra.

A preparação para o exame da OAB exige muita dedicação e costuma deixar os estudantes tão, ou mais, apreensivos quanto no vestibular. As recomendações básicas para ter bons resultados incluem:

planejamento de estudos;

foco e concentração;

verificação das provas anteriores;

atualização de conteúdo;

bom desempenho acadêmico, ou seja, a preparação já deve começar durante a graduação.

Como ter sucesso na graduação e na profissão?
Sim, existe o fator sorte. Mas, na maioria das vezes, cada um é responsável por criar oportunidades e trilhar o seu caminho. E a trajetória de sucesso começa lá atrás, desde o início do curso. O estudante empenhado, dedicado e que prioriza os estudos tem grandes possibilidades de ter uma carreira promissora.

Se você está no início do curso de direito, pense nisso:

garanta um bom aproveitamento em todas as disciplinas;

faça matérias optativas e atividades complementares, não apenas para cumprir a grade, mas para ampliar seus conhecimentos;

faça diferentes estágios; participe de grupos de estudo;

desenvolva habilidades para debate; frequente eventos jurídicos;

comece a criar seu networking.

Quais as habilidades essenciais para um bom advogado?
Como em todas as carreiras, existem habilidades e competências específicas que são fundamentais para o bom desempenho e para o sucesso profissional. Um advogado que se destaque em sua categoria deve ter ou desenvolver as seguintes características:

inteligência cognitiva e emocional;

iniciativa e criatividade;

capacidade para investigação;

flexibilidade para o aprendizado contínuo;

facilidade de relacionamento interpessoal e trabalho em equipe;

responsabilidade;

empatia e respeito;

capacidade argumentativa e oratória;

persuasão;

observação e olhar analítico;

ética.

Em quais áreas o profissional de direito pode atuar?
O campo de atuação para o profissional graduado em direito é bem amplo e oferece diferentes oportunidades. Escolher a área com a qual você mais se identifica e buscar especializações é uma estratégia necessária para impulsionar sua carreira. Veja agora os principais ramos da advocacia:

Direito Penal
Esta é a área de atuação dos advogados criminais, que preparam e apresentam acusações e defesas em todo tipo de crime e delito.

Direito Civil
O profissional que atua em Direito Civil lida com interesses relacionados a bens e propriedades. Questões contratuais e familiares, como heranças e divórcio, também fazem parte desse campo. Quem segue essa área pode se especializar em Direito de Família, Direito Contratual, entre outros.

Direito Empresarial ou Comercial
Cabe ao profissional desse ramo lidar com os direitos e interesses de empresários e sociedades comerciais, incluindo questões referentes a patentes, abertura, fechamento e recuperação de empresas, falência etc.

Direito Trabalhista
O advogado trabalhista representa pessoas físicas e jurídicas, nas ações entre empregadores e funcionários, em processos que envolvem questões sindicais, condições de trabalho e previdência social.

Direito do Consumidor
O Direito do Consumidor também é uma área bem movimentada, com alta demanda. Isso porque defende os direitos do cidadão em causas de aquisição de bens e contratação de serviços.

Direito Tributário
O profissional que trabalha nesse ramo cuida das normas envolvidas em arrecadação de taxas, impostos e obrigações tributárias, defesa de contribuintes cobrados indevidamente e fiscalização de pagamentos.

Carreira Acadêmica
Você também pode se interessar pela atuação acadêmica — ensino, extensão e pesquisa — e se especializar para ser um professor universitário ou um pesquisador. Para isso, algumas instituições exigem mestrado e doutorado.

Cargos Públicos
Depois de ser aprovado em concursos públicos para vagas específicas, você ainda pode atuar como defensor público, procurador, delegado de polícia, promotor de justiça ou juiz.

Quanto ganha, em média, um advogado?
Antes de irmos para os números, é importante frisar que as médias possuem muitas variáveis. Questões como a área de atuação (setor público ou privado), tamanho da empresa, estado, cidade e tempo de carreira são só alguns fatores que podem pesar a mais ou a menos no salário que você poderá receber.

Além disso, é bom que você conheça a diferença entre o advogado contencioso e consultivo, visto que há uma variação salarial entre os dois tipos.

Resumidamente, o primeiro é o que representa um cliente perante um tribunal, já o segundo organiza planos e estratégias para evitar que o cliente tenha problemas que os levem para algum tipo de processo ou julgamento. Em suma, um remedia enquanto o outro previne, ok?

Além do mais, não estranhe se der de cara com salários baixos ou altos demais para o que você imaginava. Os números a seguir foram retirados da pesquisa Guia Salarial 2017, feita pela consultoria multinacional Robert Half, e do site Guia da Carreira. Separamos os valores médios de acordo com as principais áreas:

trabalhista contencioso: um advogado júnior (com até 3 anos de experiência) pode ganhar R$ 3 mil em uma pequena empresa, ao passo que um advogado sênior (com mais de 8 anos de carreira) pode faturar até R$ 13,5 mil em uma grande companhia;

trabalhista consultivo: com os mesmos pontos de referência anteriores, os salários podem variar de R$ 3,5 mil a R$ 17 mil;

cível contencioso: entre R$ 3,3 mil e R$ 17 mil;

tributário contencioso: entre R$ 3,8 mil e R$ 18,5 mil;

tributário consultivo: valores variam entre R$ 4,2 mil e R$ 21 mil;

empresarial/M&A (fusões e aquisições): advogado júnior pode receber de R$ 3,8 mil e R$ 7,2 mil, um pleno (de 4 a 7 anos de experiência) ganha entre R$ 5,6 mil e R$ 12 mil, e um sênior entre R$ 8,1 mil e R$ 22 mil;

concorrencial/compliance: as médias nessa área começam mais altas, pois costuma estar presente somente em médias e grandes empresas. Por isso, os salários podem variar de R$ 4 mil a R$ 17 mil;

empresas: o espaçamento entre os salários iniciais e finais é maior porque nas empresas também existem os cargos de coordenador, gerente e diretor jurídico. Portanto, as médias variam de R$ 3,1 mil (advogado júnior em pequena empresa), passando por R$ 11,5 mil (advogado sênior em média empresa) até chegar em R$ 35 mil (diretor jurídico em grandes companhias);

bancos: esse é o setor no qual os diretores jurídicos mais podem ganhar (R$ 40 mil mensais). Já os advogados iniciantes podem levantar de R$ 3,6 mil a R$ 5,5 mil.

administração pública federal: um advogado da união pode ganhar um salário inicial de R$ 16 mil.

universidades: quem quiser seguir na área acadêmica, como professor de direito, também conta com ótimas opções salariais. Os valores variam de acordo com o porte da instituição e com a classe do professor (Assistente, Adjunto, Titular etc.). No geral, o salário médio está entre R$ 4,3 mil e R$ 17 mil.

Há de se considerar, também, a possibilidade de um advogado abrir o seu próprio escritório. Nesse caso, é difícil apontar um valor, já que dependerá da quantidade de clientes, tamanho dos casos, entre outros fatores.

Outro ponto relevante são os pisos estabelecidos pelos sindicatos de advogados de cada estado. Ao comparar os valores definidos por essas associações com a pesquisa que apontamos acima, você terá mais condições de negociar futuramente o seu salário.

O que faz um advogado ganhar mais?
Você pode até ter considerado os valores que trouxemos como bons para uma carreira de advogado. No entanto, se você é do tipo de pessoa que gosta de conquistar sempre uma posição melhor, então precisa conhecer as melhores formas para subir essas médias salariais.

A seguir, você conhecerá 3 atitudes que serão fundamentais para buscar os melhores salários como advogado. Confira:

Atuação em diferentes campos
Como foi possível ver nas médias apontadas na pesquisa, existem áreas que pagam melhor do que outras. Portanto, abrir o seu leque profissional para diversos campos de atuação pode destacar você no mercado futuramente.

Por exemplo, você pode até vir a gostar mais da área de direito trabalhista durante a faculdade, estágio e primeiro emprego. No entanto, se houver uma necessidade específica do mercado em sua região ou oportunidades melhores na área tributária, é bom estar preparado para mudar os desafios.

Capacitação profissional
Essa é uma dica quase que universal para todas as profissões, mas como a advocacia é uma área muito concorrida, a capacitação se torna ainda mais fundamental.

Cursos de pós-graduação, como especializações, mestrados e doutorados, fazem uma diferença enorme em seu currículo.

O mesmo vale para os cursos de língua estrangeira, marketing pessoal, administração, liderança e comunicação em público. Congressos, palestras e treinamentos também são bons eventos que podem encorpar suas habilidades.

De todo modo, o importante é se atualizar, aprimorar os seus pontos fortes e minimizar as suas fraquezas. Assim, você conseguirá se tornar um profissional mais bem-visto pelo mercado e que entrega bons resultados.

Construção de um bom histórico
Assim como em outras carreiras, um histórico de trabalhos relevantes e boas recomendações credencia o profissional a almejar melhores condições salariais.

A reputação de um advogado é, muitas vezes, mais ligada ao nome do profissional do que à empresa para a qual ele trabalha. Por isso, criar uma carreira sólida, de vitórias, resultados e referências trará melhores salários.

É relevante se dedicar ao fator referência, especialmente quando você for trabalhar para uma pessoa, família ou empresa com muitos contatos. Quanto melhor a impressão deixada, mais portas se abrirão para você.

Se você pretende cursar direito e se tornar um advogado futuramente, saiba que as médias salariais iniciais são bem interessantes. Com valores que giram em torno de 3 mil reais por mês, você pode conquistar uma certa estabilidade financeira, se for competente, e conseguir uma oportunidade que pague esse salário.

Saber o quanto ganha um advogado é só um detalhe para motivar você nessa jornada. Lembre-se de que a versatilidade para atuar em diferentes áreas, a qualificação acadêmica e profissional e a construção de uma boa carreira são os diferenciais que vão garantir uma situação ainda mais confortável no mercado de trabalho.

Se você quer ficar por dentro de outras informações e curiosidades, assine a nossa newsletter para receber esses conteúdos em seu e-mail!

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

Share This