Carreiras

O que é melhor para o estudante: estágio ou emprego? ​

clique na imagem para se inscrever

Clique na imagem para se inscrever!!

Escolher entre estágio ou emprego é uma dúvida comum para quem está prestes a sair do ensino médio e ingressar em uma faculdade. Embora tal decisão se resuma a somente duas opções, na prática, envolve várias consequências para a trajetória do estudante.

Por ainda ser jovem, o universitário precisa pesar duas situações na fase inicial de construção da carreira: de um lado, a experiência profissional; de outro, a vida financeira própria.

Desde já, é importante ressaltar que não existe uma resposta pronta para essa questão, pois a escolha final dependerá da realidade vivida pelo estudante. Mesmo assim, saiba que as duas possibilidades têm pontos positivos e negativos.

Para ajudá-lo a identificar a opção mais adequada para a sua carreira, apresentamos em seguida os prós e os contras de escolher entre estágio ou emprego. Confira!

Estágio ou emprego: qual escolher?

Vantagens de um estágio

Num mercado de trabalho bastante concorrido, a falta de experiência pode ser um grande empecilho para o jovem conseguir uma colocação profissional. Diante dessa barreira, muita gente se questiona: como conseguir prática na área de atuação, se não é dada oportunidade de se treinar?

Sem dúvida, essa é uma das dificuldades do jovem que acaba de sair de uma faculdade. Afinal, ele terá que concorrer por vagas de emprego com pessoas que já ostentam vários cargos no currículo.

Para vencer esse desafio, o universitário tem como opção fazer estágio durante a faculdade. Nesse caso, ele pode entrar em contato com o dia a dia da área de atuação e, assim, aliar teoria e prática.

O estágio ainda contribui para que o estudante fixe os conhecimentos aprendidos na faculdade e tenha um melhor aproveitamento das aulas.

Do ponto de vista do mercado de trabalho, ter um ou vários estágios no currículo pesa a favor do candidato a uma vaga de emprego, por demonstrar o interesse do profissional em se aperfeiçoar.

Além disso, esse tipo de atividade permite que o universitário desenvolva o chamado “network”, que por ora pode ser entendido como a construção de uma rede de relacionamentos. Com isso, o jovem pode fazer contatos profissionais e, consequentemente, facilitar a conquista de um emprego fixo após se formar.

Desvantagens de um estágio

Depois de concluir o ensino médio, é normal o estudante querer ter independência, a qual, muitas vezes, está ligada a dispor de uma fonte de renda própria.

Comprar o que quiser, fazer viagens, ir a eventos etc. são desejos comum dos jovens. Porém, é provável que o dinheiro recebido em um estágio, a título de bolsa, não seja suficiente para essa lista de vontades.

Se o jovem ainda é responsável por custear faculdade, moradia, transporte e alimentação, o estágio praticamente torna inviável tudo isso, afinal, quase sempre ele não oferece um salário nos padrões tradicionais.

Além disso, pode ocorrer de o estágio não ser favorável quando a empresa em questão não se preocupa com a formação do universitário, mas apenas quer ter mão de obra. Nesse caso, o estudante deixa de obter conhecimentos complementares, para somente cumprir tarefas, sem uma orientação profissional adequada.

Para evitar isso, é importante realizar estágios por meio dos chamados agentes de integração entre empresa e escola. Tais entidades são responsáveis por garantir que as partes envolvidas cumpram a Lei nº 11.788/2008, que trata dos estágios no Brasil.

Vantagens de um emprego para o universitário

O ritmo da vida hoje em dia é bem mais acelerado em comparação à forma como viveram os seus pais e avós. Atualmente, as pessoas têm certa pressa para obter determinadas conquistas, como possuir um carro, uma casa ou um apartamento etc.

Para o universitário, muitas vezes se torna difícil ter que esperar quatro ou cinco anos de estudo, para só depois adquirir bens e começar a estruturar a própria vida. Nessa fase, pode ocorrer de o jovem se sentir um tanto “frustrado” por ver muita gente o deixando “para trás”.

É bem verdade que a faculdade se trata de um período de “plantio” de uma carreira profissional de sucesso, para que depois possa haver a “colheita” dos tão esperados frutos.

Ainda assim, muitos jovens preferem ter um emprego fixo, seja por contrato pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) ou até mesmo por concurso público, para que possam ter uma fonte de renda própria.

Nesses casos, o emprego possibilita maior liberdade para o jovem tomar decisões, inclusive, no que diz respeito à vida pessoal, como vir a se casar.

Além disso, o emprego convencional proporciona direitos trabalhistas não existentes no estágio, como Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), possibilidade de abono salarial, aviso prévio em caso de demissão não voluntária, décimo terceiro salário, entre outros. Vale lembrar que as férias podem ser usufruídas tanto por empregados pela CLT quanto pelos estagiários.

Desvantagens de um emprego para o universitário

O período de faculdade é conhecido por exigir do estudante dedicação e disciplina, afinal, é necessário frequentar as aulas, ler livros, fazer trabalhos acadêmicos, realizar provas, participar de congressos e seminários etc.

Nesse sentido, para não só ter um aprendizado satisfatório como também obter as notas exigidas para aprovação, o jovem precisa de tempo suficiente para estudar. Entretanto, quando se tem um emprego fixo, geralmente com duração de oito horas diárias, fica difícil conciliar as duas atividades.

Não que isso seja impossível, mas o universitário precisa se organizar bastante para cumprir todos os compromissos e, ainda, cuidar da própria saúde, já que essa rotina pode enfraquecer a imunidade e até abrir brechas para doenças.

Como você pode notar, estágio ou emprego envolvem pontos fortes e fracos, logo, não há uma decisão única para todos os casos. Cabe ao estudante analisar a própria realidade, além de planejar o futuro, para fazer a escolha mais adequada para a carreira.

Além disso, é provável que o jovem possa ter as duas experiências durante a faculdade, já que o período de duração de uma graduação é relativamente longo.

Quer receber mais dicas para planejar a sua carreira profissional? Cadastre seu e-mail na newsletter da FARO e não perca os próximos conteúdos!

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

Share This