Estudos

Entenda as maiores diferenças entre Prouni e FIES

clique na imagem para se inscrever

Clique na imagem para se inscrever!!

De alguns anos para cá, o Ministério da Educação (MEC) vem criando iniciativas para facilitar o acesso dos jovens ao ensino superior. Dentre elas, duas se destacam e já contribuíram para a realização do sonho de milhares de brasileiros: estamos falando dos programas Prouni e FIES.

Se você está prestes a tentar o vestibular, já deve ter ouvido falar neles. Mas sabe como eles funcionam e quais são as diferenças entre um e outro? É exatamente isso que mostraremos no post de hoje.

Acompanhe a seguir e conheça tudo sobre o Prouni e o FIES:

Prouni: acesso à educação para quem não pode pagar

O que é o Prouni?

O Programa Universidade Para Todos (Prouni) é uma iniciativa do Governo Federal que, desde 2004, concede bolsas de estudo integrais ou parciais em instituições de ensino particulares para alunos de baixa renda.

Quem pode se inscrever?

O programa é exclusivamente voltado para alunos de baixa renda que tenham cursado todo o ensino médio em escola pública ou em instituição particular com bolsa integral.

Para concorrer à bolsa de estudos integral, o aluno deverá comprovar renda bruta mensal de um salário mínimo por pessoa do núcleo familiar. Para as bolsas parciais, a renda bruta mensal por pessoa não pode ser superior a três salários mínimos.

Além disso, o programa também pode ser acessado por pessoas portadoras de deficiência e professores de educação básica da rede pública de ensino que desejem ingressar em cursos de licenciatura.

Quais são os critérios de seleção?

Para concorrer a uma bolsa pelo Prouni, o aluno precisará ter prestado a prova do ENEM no ano anterior, alcançando a nota mínima de 450 pontos nas provas gerais, além de não zerar a redação.

Além dos critérios mencionados no tópico anterior, há também bolsas reservadas para alunos com deficiência ou que se autodeclarem indígenas, pretos ou pardos, de acordo com as políticas de ações afirmativas do programa.

Vale lembrar que os alunos que se candidatarem às cotas também devem se enquadrar nos outros requisitos do programa.

Como funciona a concessão do benefício?

As bolsas concedidas são pelo Programa Universidade Para Todos são totais (100% do valor do curso) ou parciais (50% do valor do curso). No segundo caso, o aluno deverá arcar com os custos da outra parte da mensalidade — que, em alguns casos, pode ser financiada.

Como fazer a inscrição?

A inscrição para o Prouni é gratuita e acontece duas vezes ao ano, no primeiro e no segundo semestre. Ela é feita em uma única etapa por meio do preenchimento de um formulário no site do programa.

Para se inscrever, o aluno deverá informar o seu número de inscrição no ENEM e escolher duas opções de instituições de ensino superior, curso e turno em que pretende estudar.

Diariamente, o sistema do site faz um levantamento das notas de corte dos cursos disponíveis para que os alunos possam ter uma noção se sua pontuação no Exame Nacional do Ensino Médio será suficiente para conseguir uma vaga.

Vale lembrar ainda que as opções de cursos podem ser alteradas todos os dias até a data de encerramento do prazo de inscrições.

FIES: uma aposta em seu futuro profissional

O que é o FIES?

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é um programa de crédito do Governo Federal que visa facilitar o acesso de alunos de baixa renda às universidades particulares por meio de financiamento estudantil com pagamento facilitado e taxas de juros menores do que as oferecidas pelos financiamentos ofertados por instituições financeiras privadas.

Quem pode se inscrever?

Assim como o é o caso do Prouni, o FIES é exclusivo para estudantes de baixa renda. Para se inscrever, o aluno precisa comprovar renda familiar per capta inferior a 3 salários mínimos.

Um grande diferencial do programa é que o aluno pode solicitar o financiamento tanto no início quanto ao longo do curso, caso ele não consiga mais arcar com as mensalidades.

Quais são os critérios de seleção do programa?

Para solicitar o financiamento, o aluno precisará ter prestado o ENEM nos últimos oito anos (a partir de 2010) e obtido nota mínima de 450 pontos, além de não ter zerado a redação.

O aluno não pode ter obtido bolsa integral em algum curso pelo Prouni e não pode ter sido contemplado pelo FIES em outras graduações.

Como fazer a inscrição?

As inscrições são gratuitas e feitas pelo site do programa. Assim como no caso do Prouni, elas são abertas duas vezes por ano, no primeiro e segundo semestres.

A primeira etapa consiste em um cadastro para pré-seleção pelo próprio Sistema de Seleção do Fies (SisFies). Após ser pré-selecionado, o candidato deverá retornar ao site do SisFies para informar os dados do financiamento.

Caso seja aprovado, ele deverá validar suas informações na instituição de ensino e comparecer a uma agência do Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal junto ao fiador para finalizar o processo.

Prouni e FIES: qual deles escolher?

Como você pode notar, apesar de serem constantemente confundidos, os dois programas são bastante diferentes: enquanto um arca com os custos totais ou parciais da sua graduação, o outro é como um empréstimo que deverá ser quitado no futuro.

A escolha pela melhor opção dependerá do seu momento de vida e situação financeira atual, e vale lembrar que é possível se inscrever nos dois programas simultaneamente. Assim, caso você não consiga uma bolsa integral pelo Prouni, por exemplo, você ainda pode tentar o financiamento das mensalidades pelo FIES.

Apesar das diferenças significativas, ambos os programas têm um objetivo comum: facilitar o acesso à educação de ensino superior para aqueles que não conseguiram uma vaga nas universidades públicas e não podem arcar com os custos de um curso em uma instituição de ensino particular, garantindo um futuro melhor para os jovens brasileiros.

Agora que você já sabe todos os detalhes sobre Prouni e FIES, chegou a hora de pensar nos próximos passos para garantir a sua vaga na universidade! Leia nosso post e descubra o que fazer após a aprovação no vestibular!

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

Share This