Engenharia Florestal

Engenharia florestal e engenharia ambiental são a mesma coisa?

 

Quando chega o momento de escolher uma faculdade, é comum que também apareçam algumas dúvidas. E quando o assunto são as engenharias isso não é diferente. Particularmente, duas delas geram mais confusão por parecerem ser a mesma coisa — são elas: engenharia florestal e engenharia ambiental.

É fato: elas só parecem, pois formam dois profissionais bem distintos em suas funções. Porém, é comum que as pessoas confundam os dois cursos ou pensem que são iguais. Essa confusão pode se dar pelo fato de ambos estarem ligadas aos recursos naturais e a preservação do meio ambiente.

Mesmo que os profissionais em engenharia florestal e engenharia ambiental possuam chances trabalhar em um órgão público ou no mesmo nicho de empresas privadas, as suas tarefas dentro dessas instituições são bem diferentes.

De uma maneira bem resumida, o foco do engenheiro florestal é pensar em processos úteis na preservação da natureza, enquanto o engenheiro ambiental pensa em formas de melhorar o tratamento de resíduos em rios e mares.

Dessa forma, mesmo parecendo similares, podemos ver que as diferenças são bem demarcadas. Se mesmo assim você ainda está em dúvida, tenha calma! Para ajudar você a escolher o curso certo, vamos destrinchar essas duas engenharias, que são cursos em alta nos próximos anos.

Então, continue a leitura e descubra tudo sobre a área de atuação, a grade curricular e o mercado de trabalho em engenharia florestal e engenharia ambiental.

A carreira do engenheiro florestal

O engenheiro florestal é o profissional que analisa a possibilidade de explorar, ou não, diferentes elementos do meio ambiente, como a madeira, os óleos e as resinas, em áreas específicas — geralmente, áreas florestais.

Entre as suas atribuições está a conservação da flora e da fauna, além da avaliação de ecossistemas quanto à possibilidade de produzir bens florestais, desenvolvendo meios de aproveitamento e reaproveitamento dos recursos naturais.

Ele é muito requisitado no planejamento e na execução de projetos de reflorestamento. Além disso, é do engenheiro florestal o papel de fiscalizar empresas públicas e privadas que fazem o uso de recursos florestais, como as usinas hidrelétricas, por exemplo.

A carreira do engenheiro ambiental

O engenheiro ambiental tem como principal função a atuação no tratamento e controle de resíduos químicos na natureza, principalmente em águas e esgotos. Esse profissional vai lidar com a recuperação de solos e águas, além de trabalhar no controle da poluição, seja no meio industrial, seja em áreas exclusivamente urbanas.

As empresas precisam cada vez mais se preocupar com a sua atuação em relação ao meio ambiente. Nesse sentido, o engenheiro ambiental deve avaliar o que pode, ou não, causar impactos negativos e alertar os empresários quanto a isso. Eles também:

  • gerenciam diferentes medidas que visam diminuir os impactos causados por processos e produtos químicos;

  • monitoram a qualidade das águas de rios, mares e solos;

  • planejam meios para a utilização dos recursos naturais de forma racional;

  • pensam em iniciativas para evitar enchentes, inundações e desastres naturais de grande proporção etc.

Ao contrário do engenheiro florestal, que quase sempre precisa colocar a mão na massa, o engenheiro ambiental fica mais no escritório, trabalhando no desenvolvimento de projetos e avaliando possibilidades de diminuir os impactos negativos do homem na natureza.

As grades curriculares da engenharia florestal e engenharia ambiental

As disciplinas do curso de Engenharia Florestal tratam de assuntos relacionados à botânica, fisiologia vegetal, ecologia, tecnologia da madeira, e matérias que abordam métodos cabíveis para utilizar o meio ambiente de maneira consciente.

É preciso gostar de estudar questões agrárias e biológicas, mas também de exatas, pois matemática e física são importantes em disciplinas que tratam dos impactos ambientais, de meteorologia, planejamento urbano e recursos hídricos.

Na graduação em engenharia ambiental, o estudante também terá disciplinas nas áreas de exatas e biológicas, além das ciências sociais. Por isso, é importante gostar de matemática e ter habilidades de raciocínio lógico, muito exigido na faculdade e na vida profissional.

Entre as disciplinas mais comuns na graduação em engenharia ambiental estão: ecologia, geologia, hidrologia, topografia e química. Depois de uma base bem formada, começam as aulas de hidráulica, gestão ambiental, avaliação de impactos ambientais, tratamento de resíduos etc.

O mercado de trabalho em engenharia florestal e engenharia ambiental

A maioria das oportunidades de emprego para o engenheiro florestal no Brasil está em madeireiras. Na agricultura também se vê uma demanda por conta da necessidade de reflorestamento de grandes áreas.

Com o conhecimento adquirido durante os anos de faculdade, é possível atuar na administração de parques ecológicos e reservas florestais.

Como pesquisador, o engenheiro florestal pode investir em trabalhos que tenham como principal objetivo a melhoria genética de sementes e o aperfeiçoamento das tecnologias ligadas ao uso de madeira e outros recursos naturais.

Com a tarefa de produzir, planejar e plantar, pensando sempre nos cuidados essenciais ao meio ambiente, uma atividade comum ao bacharel em engenharia florestal é a fiscalização ambiental, vagas que, geralmente, são oferecidas em concursos públicos do Ministério do Meio Ambiente e do Ibama.

A consultoria é um trabalho comum ao engenheiro ambiental, principalmente pelo fato de as empresas precisarem de licença ambiental antes de começar a funcionar.

Além disso, esse profissional vem sendo muito solicitado em indústrias, construtoras e usinas que buscam pelo selo de sustentável, podendo escolher se quer seguir carreira pública ou privada.

No setor público, os engenheiros ambientais também têm seu espaço garantido, pois é essencial pensar nas responsabilidades da sociedade com a natureza. No setor privado, ele é requisitado em projetos agrícolas e industriais, nos quais as vagas são mais comuns nas regiões Sudeste e Sul do Brasil.

E aí, você tem o perfil de um estudante de engenharia? Mesmo sendo parecidos em alguns aspectos, os cursos de engenharia florestal e engenharia ambiental não são a mesma coisa. Além do mais, o mercado de trabalho tem espaço para esses dois profissionais, contudo, cada um com atuando dentro de suas funções específicas.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre as engenharias florestal e ambiental? Então, assine nossa newsletter e fique por dentro de outras informações relevantes para o seu futuro!

 

Deixar comentário.

Share This
0