Estudos

Crenças limitantes: o que são e como contorná-las?

As crenças limitantes são uma forma bastante sofisticada de autossabotagem, em que colocamos obstáculos mentais à concretização dos nossos sonhos. Afinal, frases como “não posso” e “não consigo” nos impedem de oferecer o máximo, isso quando não geram a desistência por completo.

Não por acaso, se o seu objetivo é passar no vestibular e construir uma carreira de sucesso, é melhor lidar com esse modo de pensar urgentemente. Além de prejudicar a preparação, uma mentalidade fraca pode restringir o seu desenvolvimento profissional.

Por isso, leia o conteúdo a seguir com bastante atenção para entender como funcionam as crenças limitantes e conhecer algumas estratégias para desenvolver uma mentalidade forte.

O que são crenças limitantes?

Em seu livro Introdução à Programação Neurolinguística: como entender e influenciar as pessoas, 2ª Edição, Summus Editorial, 1995, pág. 97, os especialistas Jonh O’Connor e Jonh Seymour definem as crenças como “princípios orientadores”, ou seja, “mapas internos que usamos para dar sentido ao mundo”.

A partir dessa concepção, as crenças positivas funcionariam como “uma autorização para colocar em prática nossas capacidades”. Consequentemente, as limitantes seriam proibições, como ocorre quando um vestibulando diz que não pode tirar uma boa nota em certa matéria.

O grande perigo está no fato de elas conterem uma verdade parcial. Se uma pessoa que nunca estudou fizer um concurso público hoje, ela será reprovada. Hoje, ela não consegue passar. Porém, isso não quer dizer que, após se dedicar, não se possa ser bem-sucedido.

Perceba como as crenças limitantes nos enganam: se acreditarmos que a frase “não posso” descreve nossa capacidade presente e futura — em vez de ser apenas a descrição do nosso comportamento atual—, programaremos nosso cérebro para fracassar, o que nos impede de descobrir nossas verdadeiras capacidades. As crenças negativas não se baseiam na experiência.

Nesse sentido, a autossabotagem é sutil. Imagine que você se dedicou para o exame, mas é uma pessoa que ficou nervosa ou ansiosa durante provas anteriores. Pensar “eu não posso” não será apenas a descrição de um ponto a ser melhorado, mas um gatilho sobre o futuro, que impedirá ações como fazer simulados, mudar a alimentação e procurar ajuda profissional.

Quais são as principais crenças limitantes?

Somos bombardeados por concepções negativas de todas as partes e, muitas vezes, desenvolvemos um modo de pensar sem nem mesmo perceber. Entre os tipos, merecem destaque as sociais, as pessoais e as hereditárias.

Sociais

Correspondem à pressão exercida pelo contexto em que a pessoa está inserida, quer seja nos ambientes em que ela convive, quer seja no tipo de informação que ela consume. O risco aqui está no processo de convergência: gradativamente as opiniões pessoais se tornam cada vez mais embasadas na concepção do grupo.

Logo, se você está em um contexto em que se pensa “apenas os ricos podem se graduar“, “só quem já nasce muito inteligente terá chance” e coisas do gênero, há grandes chances de criar crenças limitantes.

Hereditárias

Transmitem-se no âmbito familiar. Não só os parentes podem compartilhar suas crenças limitantes como reforçar ideias negativas cotidianamente. Além disso, em muitos casos, a proteção pode criar crenças limitadoras em relação a assumir os riscos necessários ao sucesso profissional.

Pessoais

Refletem a experiência do indivíduo. É o caso, por exemplo, da pessoa que já foi reprovada em testes anteriores e que acredita não ser capaz de passar. Isto é, pode acontecer do contexto ser favorável, dos pais incentivarem e, ainda assim, algum evento gerar o pensamento restritivo.

Vale ressaltar que muito mais do que achar culpados, é importante refletir sobre como essas diferentes instâncias contribuem para formar crenças. Em muitos casos, um contexto pode ajudar por um lado e prejudicar por outro.

Como contorná-las?

As crenças negativas mais comuns sobre a graduação são a de não ser aprovado, ser muito difícil e não ser capaz de passar. Tais restrições impactam o processo de aprendizado, porque dificultam ou impedem que a pessoa cumpra as metas de preparação necessárias para atingir o objetivo.

Por isso, para ser aprovado no vestibular e construir uma carreira de sucesso, será muito importante sair da zona de conforto e mudar a forma de ver o mundo. A seguir, listamos algumas estratégias que podem contribuir para vencer esse desafio.

Saiba quais são suas metas e objetivos

Pegue uma folha de papel e anote o seu objetivo na parte superior. Logo abaixo, descreva os passos necessários para que ele seja alcançado em retrospectiva, até chegar ao que pode ser feito hoje.

Isso modifica a forma de lidar com o desafio. Em vez de se questionar se você consegue tirar a nota “x” na matéria y”, você verá passos mais simples como acordar 30 minutos mais cedo para estudar, ler 5 páginas e resolver 15 questões de prova hoje.

Procure ajuda

Não ignore a importância de buscar apoio, especialmente de profissionais qualificados. O tipo vai variar conforme a sua dificuldade de lidar com as crenças limitantes e com o próprio desafio de ser aprovado.

Algumas pessoas podem mudar a forma de pensar com novas amizades; há aquelas que ganham confiança quando participam de um curso preparatório ou processo de coaching; já outras necessitam de auxílio terapêutico. Busque algo adequado às suas necessidades.

Evite o pensamento negativo

Combata os pensamentos negativos sempre que eles aparecerem na sua mente. Para isso, lembre-se de que, ainda que a afirmação corresponda a uma dificuldade atual, a fala não deve ser estendida para o futuro e foque no próximo passo em direção ao seu objetivo.

Busque crenças fortalecedoras

Procure incentivar os pensamentos que autorizam o desenvolvimento da sua capacidade. Uma dica, nesse sentido, é listar as suas qualidades e deixá-las ao alcance para que possam ser lidas ao longo do dia, bem como algumas frases motivadoras.

O reforço positivo contribuirá bastante para sua aprovação. Afinal, ter uma mentalidade forte dá condições para que você pague o preço necessário e cumpra as etapas do processo preparatório para o vestibular.

Sendo assim, é muito importante que você enfrente as suas crenças limitantes e busque autoconfiança por meio das fortalecedoras. Então, comece a trocar o “eu não posso” pelo “eu consigo” imediatamente.

Este conteúdo gerou valor para você? Então, compartilhe o texto nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a desenvolverem uma mentalidade mais forte!

 

1 comentário

Deixar comentário.

Share This
0