Carreiras

Carreira pública ou privada: o que é melhor? Saiba como escolher!

clique na imagem para se inscrever

Clique na imagem para se inscrever!!

Quando pensamos em nossa vida profissional, buscamos investir em uma boa faculdade e dedicamos algumas horas dos nossos dias para os estudos. Então, chega o dia em que temos que decidir: seguir a carreira pública ou privada?

Independentemente de qual graduação você fez ou ainda está cursando, as vagas públicas — conquistadas por meio de concursos — são concorridas, não diferente, o setor privado também costuma ser disputado. Por isso, na maioria das vezes, essa decisão está mais ligada ao que você almeja para ter uma carreira de sucesso.

Não estamos falando de uma decisão que pode ser tomada da noite para o dia. Alguns benefícios se destacam e precisam ser colocados em uma balança na hora da escolha.

Você provavelmente já ouviu dizer que a carreira pública é mais estável e que o setor privado é flexível, entre outras comparações. Enfim, em qual perfil você se encaixa? Prefere garantia ou a mudança?

Antes de qualquer coisa é necessário avaliar os seus objetivos e metas, considerando que a busca final deve ser a satisfação pessoal e a qualidade de vida. Para colaborar com a sua decisão, separamos as principais diferenças e vantagens dessas carreiras, continue a leitura e descubra!

As diferentes formas de ingresso

Uma diferença pontual é o modo como o colaborador é selecionado para as vagas. No setor privado, entrevistas, processos seletivos, dinâmicas de grupos e indicações regem as contratações. Ao passo que, na carreira pública, a Constituição de 88 aponta que os cargos devem ser preenchidos por meio de concurso.

Apesar disso, ainda existem os cargos de confiança, que diferentemente do concurso, não são estáveis e dependem do mandato político da época. Além do mais, existem dois tipos mais comuns de cargos públicos:

  • estatutárias: garante, em três anos, a estabilidade no cargo;

  • celetistas: o funcionário é CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), assim como acontece no setor privado.

As barreiras da burocracia para a inovação

Uma das vantagens que faz com que muitas pessoas optem pela carreira privada é o menor número de burocracia, principalmente quando se quer inovar em algo. No setor público, muita “papelada” precisa ser preenchida e nem sempre é autorizada esse tipo de mudança.

Mesmo assim, há quem prefira a solidez e manter uma rotina com poucas alterações durante toda a carreira, optando pelo cargo público. Enquanto isso, a flexibilidade do meio privado atrai pessoas inovadoras e adaptáveis a mudanças repentinas ou em longo prazo.

A qualificação na carreira pública ou privada

Existem concursos públicos específicos para pessoas com ensino médio e também para quem tem curso superior completo. Nesses casos, quanto maior a qualificação, maior o salário inicial. Há também a possibilidade de fazer especializações e ganhar abonos em relação a elas, porém, cada caso tem suas peculiaridades.

Em relação ao setor privado a qualificação nem sempre pode significar um abono, porém, você pode mudar de área a partir delas. De qualquer maneira, vagas com altos salários em grandes organizações exigem, na maioria das vezes, alta qualificação.

Uma questão de perfil e oportunidade

É comum que os defensores da iniciativa privada listem as vantagens de ter o próprio negócio ou do trabalho em uma empresa privada. Da mesma maneira, os apoiadores do serviço público defendem com unhas e dentes os benefícios dos cargos governamentais.

Mas qual é o seu perfil? Veja algumas das principais características — positivas e negativas — de cada carreira:

Carreira Pública

Carreira Privada

Estabilidade

Mudança

Rotina estável

Rotina instável

Remuneração inicial razoável

Possibilidade de ganhar muito dinheiro

Missão social (todos são iguais)

Alta competitividade

Plano de carreira

Flexibilidade de carreira

Muitos trâmites burocráticos

Menor burocracia

Garantia de férias

Dificuldade para tirar férias

Horário fixo de trabalho

O cliente pode querer ser atendido em qualquer horário

 

Como podemos verificar na tabela, nem sempre o que é vantajoso para uma pessoa será para outra. Tem gente que gosta da possibilidade de ter tudo planejado, sem que nada saia do eixo, mas, tem aquelas pessoas que preferem o mutável, ou seja, aquilo que promove desafios.

Outro ponto importante de destacarmos quando falamos do perfil profissional são as oportunidades. Para conquistar um cargo público, as horas de dedicação aos estudos podem aumentar, sobretudo, por conta da dificuldade e concorrência dos concursos.

À medida que nas empresas privadas as exigências de qualificações e experiência podem ser um empecilho.

O trabalho na área de formação

Quase ninguém quer ficar 3 ou mais anos na faculdade e depois não trabalhar na sua área de formação, não é mesmo? Os serviços públicos são vantajosos por oferecerem cargos específicos para cursos de graduação, como os cargos em contabilidade, engenharia e direito.

No caso específico dos advogados, as vagas no setor público são atraentes e muito procuradas, ou seja, eles podem ser juízes, defensores públicos ou promotores. Além disso, outros setores como a polícia, por exemplo, exigem o curso de Direito para cargos altos.

Outras vantagens e desvantagens

Quanto ao salário, além do pagamento inicial dos concursados ser razoavelmente maior em relação a algumas vagas no setor privado, nos cargos públicos ele é definido por lei. Os aumentos dependem da progressão descrita no plano de carreira, além disso, outros tipos de reajustes dependem da legislação.

Para quem prefere a rotina do setor privado, os salários tendem a ultrapassar limites que são impostos aos cargos públicos, porém, ele é estabelecido pelo empregador — de acordo com o piso da categoria ou o salário mínimo — podendo ser negociável dependendo da experiência e valorização do profissional.

É importante destacarmos que nem sempre feriados e férias são acessíveis para quem abre o próprio negócio ou trabalha para uma empresa privada (lembrando que o planejamento para tal é essencial para manter a qualidade de vida e a satisfação pessoal e profissional). Em compensação, na administração pública o horário, geralmente predefinido, tende a ser mais respeitado.

A demissão também é um ponto muito discutido na hora de escolher entre carreira pública e privada, como já destacamos, a primeira é famosa pela estabilidade e, por isso, a demissão só acontece em casos de processos administrativos, já nos cargos regidos pela CLT, a demissão sem justa causa é autorizada, desde que os encargos para tal sejam pagos.

Escolher seguir a carreira pública ou privada depende das questões levantadas, como o salário, a estabilidade, o plano de carreira, entre outras. Enfim, não há a carreira melhor ou pior e sim aquela que mais se encaixa no perfil pessoal e profissional de cada pessoa.

O que achou do nosso post sobre a carreira privada ou pública? Tem interesse em saber mais sobre como são as carreiras de direito? Não deixe de conhecer as principais áreas de atuação do advogado!

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

Share This