Carreiras Engenharia Florestal

Afinal, o que faz um engenheiro florestal?

engenheiro florestal

Escolher uma profissão não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Afinal, são muitas possibilidades de carreira e tantas áreas de conhecimento que essa decisão pode parecer um desafio quase impossível!

Por isso, antes de preencher a sua inscrição para o vestibular, é importante refletir sobre os seus objetivos — pessoais e profissionais — e avaliar as suas habilidades para buscar um curso que equilibre esses pontos e ofereça boas possibilidades de sucesso no futuro.

Nesse aspecto, vale a pena destacar a profissão de engenheiro florestal como uma opção interessante, pois ela vem ganhando cada vez mais espaço e notoriedade no mercado atual e pode ser uma boa escolha para você também. Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura deste post!

O que é a Engenharia Florestal?

De modo geral, podemos classificar a Engenharia Florestal como uma área de estudo das Ciências Exatas, voltada especificamente para o uso sustentável dos recursos naturais e para a produção e comercialização de produtos florestais, sempre levando em consideração o respeito e o cuidado com o meio ambiente.

Com a necessidade crescente de equilibrar o progresso e a preservação dos recursos naturais do planeta, a carreira vem ganhando cada vez mais importância tanto nos setores acadêmico e de pesquisa quanto no empresarial. Neste último, o profissional fica responsável por avaliar o potencial dos diversos ecossistemas e planejar o crescimento dos negócios sem descuidar da flora e da fauna locais.

Quais conteúdos são aprendidos na graduação em Engenharia Florestal?

Ao escolher esse segmento específico da engenharia para a sua formação, é importante saber que você encontrará pelo caminho muita física, química e matemática ao longo dos 10 semestres de curso, além de diversas disciplinas ligadas às Ciências Biológicas.

Para que você possa ter uma visão geral, listaremos algumas das principais matérias que compõem a grade curricular do curso de Engenharia Florestal. Veja logo abaixo:

  • anatomia, fisiologia e taxonomia vegetal;

  • entomologia;

  • estudo dos solos e das bacias hidrográficas;

  • hidrologia;

  • ecologia;

  • zoologia.

Você também terá disciplinas ligadas ao campo do Direito para compreender a legislação que rege questões ambientais, florestais e agrárias, além de conferir conteúdos relacionados ao uso racional dos recursos da floresta, como gestão de unidades de conservação, impactos ambientais, manejo de fauna ou colheita e transporte de espécies.

Além das aulas em sala, quem deseja ser engenheiro florestal terá a oportunidade de participar de atividades práticas em laboratório e em campo e, ao final da graduação, deverá realizar um estágio curricular obrigatório e um trabalho de conclusão de curso (TCC) para obter o seu diploma como engenheiro florestal.

É importante observar também que, dependendo da instituição de ensino, os nomes de algumas disciplinas podem ser diferentes — ainda que o conteúdo seja o mesmo. Algumas faculdades também podem oferecer matérias na modalidade de educação a distância (EAD). Por isso, antes de fazer a sua escolha, procure sempre estudar a grade curricular!

Qual é o perfil do estudante de Engenharia Florestal?

Conforme apontamos no tópico anterior, o curso conta, principalmente, com matérias ligadas às áreas das Ciências Exatas e Biológicas. Portanto, além da paixão pela natureza, ter familiaridade com fórmulas e cálculos é primordial para que você garanta um bom rendimento no curso e no dia a dia profissional.

Visão empreendedora, habilidades de liderança e pensamento estratégico também são muito importantes para que você possa estar à frente dos mais diversos projetos e consiga superar com sucesso os desafios cotidianos da carreira de engenheiro florestal.

É fundamental que o estudante desenvolva a capacidade de comunicação, logo no começo da faculdade de Engenharia Ambiental. Um dos motivos é que muitos trabalhos são feitos em grupo. Ou seja, é necessário interagir com os colegas para encontrar alternativas para eventuais problemas e apresentar bons resultados.

No ambiente de trabalho, a boa comunicação é essencial para construir uma trajetória profissional de sucesso. Não adianta ter muito conhecimento técnico, caso não haja capacidade de explicar o que deve ser feito para os clientes e os colegas de profissão. Procure sempre ser muito didático e paciente para mostrar as ações a serem realizadas.

Conhecimento

O domínio de novas tecnologias é mais um fator que deve ser levado em consideração pelos que pretendem atuar no segmento de Engenharia Florestal. Atualmente, softwares são utilizados para o monitoramento de projetos e o acompanhamento de ações ligadas ao reflorestamento e à conservação ambiental.

O conhecimento de softwares adotados pelo mercado é muito importante para o profissional se adaptar mais rapidamente à rotina de trabalho. Quando maior for a facilidade de utilizar as ferramentas, mais rápido será a compreensão dos dados e do que deve ser praticado para minimizar os erros na execução dos serviços.

Estar aberto à melhoria contínua é mais um elemento que deve fazer parte da postura do engenheiro ambiental. O mercado de trabalho exige que o profissional esteja atento às novas tendências. Por isso, a capacidade de se adaptar a cenários diferentes e a outros procedimentos torna-se indispensável para o sucesso na carreira.

Procure adquirir novos conhecimentos por meio de cursos de capacitação e conversando com os colegas de trabalho sobre as atividades desenvolvidas. O feedback de um gestor ou de um companheiro de projeto pode ser bastante enriquecedor e mostrar outros caminhos para apresentar um desempenho acima a média.

Por fim, mas não menos importante, desenvolver a curiosidade e o espírito investigativo é essencial para que o aluno — e futuro profissional. Priorize sempre se manter informado sobre as questões que podem impactar direta e indiretamente o seu campo de trabalho.

Em que áreas o engenheiro florestal pode atuar?

Um engenheiro florestal tem um importante papel na formação de uma sociedade mais sustentável e funcional e, com o crescimento da preocupação com as questões ambientais e a necessidade de projetos que atuem em prol dessa causa, o campo de trabalho desse profissional fica ainda mais amplo e repleto de possibilidades interessantes.

A seguir, vamos listar alguns dos principais ramos de atuação que o profissional tem à sua escolha. Confira:

Ecologia aplicada

Vamos começar a lista de possibilidades de trabalho no campo da Engenharia Florestal com uma área que tem como principal objetivo a gestão de parques ecológicos e reservas florestais.

Por meio de um estudo detalhado do ecossistema local, o profissional deverá desenvolver soluções sustentáveis para a recuperação de áreas degradadas, a preservação de recursos naturais e o equilíbrio ecológico desses espaços com o ambiente urbano de pequenas, médias e grandes cidades.

Fiscalização

Esse é o campo de atuação em que a Engenharia Florestal e o Direito se encontram. Para se sair bem nessa área, é preciso ter a legislação e outros documentos relacionados às normas ambientais sempre à mão!

Na prática, o profissional dessa área deverá supervisionar as empresas que utilizam produtos de origem florestal em suas operações, como usinas termelétricas e siderúrgicas. Além disso, deve verificar se todas as regras e políticas estabelecidas estão sendo seguidas de acordo com as orientações legais.

Manejo florestal

O desmatamento no Brasil é uma das principais preocupações ambientais da atualidade e vem causando danos cada vez maiores ao nosso país. Justamente por isso, o reflorestamento ganha ainda mais importância e exige a contratação de um profissional que saiba como realizar o manejo dessa atividade de forma correta.

Nesse campo de atuação, o engenheiro florestal realiza trabalhos de pesquisa que permitem monitorar as espécies arbóreas presentes no ecossistema, estudar os tipos de semente e solo, além de fazer um melhoramento genético da vegetação.

Assim, é possível reduzir o consumo predatório, evitar o desperdício de madeira, promover e supervisionar projetos de reflorestamento que sejam realmente eficientes para manter o meio ambiente em equilíbrio.

Tecnologia de produtos florestais

Ao longo dos anos, a madeira tem sido utilizada como matéria-prima em diversos setores da economia, como construção civil, mercado moveleiro e indústria — nas fábricas de papel e celulose.

Nesse cenário, o engenheiro florestal é muito relevante para garantir a utilização desses recursos com base em princípios sustentáveis e ecologicamente corretos.

Para isso, esse profissional deve pesquisar e desenvolver tecnologias voltadas à extração consciente, ao aproveitamento, beneficiamento e industrialização dos produtos madeireiros, além de outros itens advindos da floresta, como óleos essenciais e resinas.

Silvicultura

Esse é mais um segmento de trabalho que lida diretamente com os resultados do desmatamento e tem como foco a busca de soluções para equilibrar o uso de materiais advindos das florestas e a preservação dos ecossistemas.

Em seu dia a dia de trabalho, o engenheiro florestal participa do planejamento, do gerenciamento e da supervisão de ações de plantio, produção e posterior extração de espécies destinadas ao uso da indústria, promovendo a redução do impacto para a natureza.

O profissional da área também pode se dedicar ao reflorestamento ou trabalhar junto às secretarias municipais em projetos de arborização, plantio de mudas e conservação de espaços naturais nos centros urbanos.

Educação

O universo do ensino também oferece excelentes oportunidades para os bacharéis em Engenharia Florestal. É possível seguir carreira acadêmica e dar aulas em cursos técnicos, de extensão, graduação ou pós-graduação, ou mesmo atuar como coordenador ou diretor, orientando outros docentes.

Fora das salas de aula, existe ainda a possibilidade de promover atividades de educação ambiental e ecoturismo em instituições que trabalham pela conscientização e preservação da biodiversidade nos diversos ecossistemas.

Independentemente do segmento escolhido, você poderá atuar tanto na área privada quanto prestar concursos para ingressar em órgãos públicos. No entanto, é importante observar que, para atuar profissionalmente, é preciso ter um registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA), além do diploma no curso superior.

Qual a situação do mercado de trabalho?

No tópico anterior, foram destacados muitos segmentos em que o engenheiro florestal pode contribuir com bons serviços para a sociedade. Uma outra atividade que pode ser exercida por esse profissional é a consultoria para a efetivação de projetos ligados ao desenvolvimento sustentável.

As organizações públicas e privadas precisam ter muito cuidado com as normas ambientais e evitar, ao máximo, ações que prejudiquem o meio ambiente e promovam o aquecimento global. A imagem corporativa pode ser seriamente abalada caso haja uma multa por erros em projetos ligados à questão ambiental.

Hoje, o engenheiro florestal pode também abrir uma empresa, cujo foco pode ser a pesquisa de novos produtos para aperfeiçoar os serviços das companhias que utilizam o meio ambiente. O empreendedorismo é um fator que contribui para conquistar uma posição de prestígio no mercado de trabalho.

De acordo com pesquisa da Catho, o salário médio dos graduados em Engenharia Florestal varia de R$ 2.055,77 a 10.076,71. A remuneração muda de acordo com a experiência, o cargo e o nível de qualificação profissional.

Como se destacar na profissão?

Agora que você já conhece mais sobre o curso de Engenharia Florestal e as diversas possibilidades de atuação que a profissão oferece, separamos algumas dicas valiosas que poderão ajudá-lo a sair na frente dos concorrentes e conquistar o sucesso na carreira. Vamos conferir juntos?

Invista em especialização

Hoje, o diploma de graduação não é a única garantia de destaque profissional. É preciso ir além e buscar formas de se aperfeiçoar em sua área de atuação. Nesse aspecto, ingressar em cursos de especialização e de pós-graduação é uma excelente forma não só de garantir um diferencial no currículo, mas de adquirir novos conhecimentos e, ainda, ampliar seu networking por meio do contato com os professores e colegas de sala.

A participação em eventos como congressos, feiras, palestras e workshops também é uma forma excelente de conferir as principais tendências do mercado e se manter constantemente atualizado. E como os conhecimentos em inglês e o uso das novas tecnologias são indispensáveis para os profissionais atualmente, vale a pena destacar a importância dos cursos de idiomas e informática para completar a sua formação!

Pratique o autoconhecimento

Ter um pleno conhecimento acerca dos seus pontos positivos e negativos é uma característica essencial aos profissionais de todas as áreas de atuação. Na Engenharia Florestal, não é diferente. Tente fazer o seguinte exercício: reflita por alguns minutos e tente colocar lado a lado, em um papel, as suas habilidades e as características que necessitam ser aprimoradas.

Essa experiência certamente permitirá que você tenha uma visão mais ampla sobre as suas potencialidades e consiga identificar aquelas que realmente poderão ajudá-lo a se destacar na carreira que você escolheu.

A análise da postura profissional e pessoal é uma iniciativa que você precisa fazer com frequência. Isso porque é uma forma de compreender como se comporta em diferentes circunstâncias, o que ajuda a ter mais tranquilidade para enfrentar novos desafios.

Adquira experiências profissionais

Busque, o quanto antes, oportunidades de estágio nos diferentes ramos da Engenharia Florestal. Além de abrir as portas para o mercado de trabalho, você terá a oportunidade de conhecer, na prática, o dia a dia da profissão e desenvolver desde os primeiros anos da faculdade as habilidades mais buscadas pelas empresas.

Outra vantagem é a oportunidade de conhecer cada uma das áreas da profissão e, futuramente, poder escolher uma especialização naquela que mais lhe agradar.

Participe de eventos relacionados à sua profissão

Sempre que possível, compareça a eventos relevantes para a sua área de atuação. As feiras, palestras, apresentações de projetos, congressos e workshops são excelentes oportunidades para conhecer as novidades do mercado e saber mais sobre as empresas que são líderes em seus segmentos.

Você também poderá conhecer de perto profissionais renomados que podem compartilhar suas experiências e dar dicas valiosas para o seu crescimento profissional!

Então, fique atento aos calendários de eventos, converse com os professores e com a coordenação do curso para ficar informado e prepare-se com antecedência para participar de capacitações que realmente contribuirão para seus objetivos pessoais e profissionais.

Prepare-se para o futuro

Quais serão as próximas tendências para o ramo da Engenharia Florestal? Como será o futuro da profissão? Refletir sobre questões como estas é mais uma ferramenta para que você se torne um profissional de destaque.

Conforme já comentamos em tópicos anteriores, um dos segredos para se tornar um engenheiro bem-sucedido é estar sempre atualizado. Isso significa estar por dentro das notícias do país e do mundo e, consequentemente, das previsões dos especialistas em economia e mercado de trabalho.

Dessa forma, você conseguirá se antecipar às mudanças e estar bem preparado para aquilo que o mercado reserva, saindo na frente da concorrência e tornando-se um profissional promissor na avaliação do mundo corporativo.

Qual é a importância do engenheiro florestal na preservação ambiental?

Desde a criação do Código Florestal, em 1934, foram estabelecidas leis que visam à proteção das florestas e demais tipos de vegetação existentes no Brasil. Ao longo dos anos, o documento veio passando por mudanças e atualizações com base nas discussões sobre as normas de proteção e preservação ambiental e restrições de uso dos espaços rurais.

Nesse contexto, a figura do engenheiro ambiental ganha ainda mais importância no que diz respeito à criação e aplicação de regulamentações que equilibrem, de forma ética e eficiente, a utilização das terras e seus recursos sem perder de vista o cuidado com o meio ambiente.

Uma formação superior de qualidade, voltada às necessidades do mercado atual, poderá ajudá-lo a superar as expectativas e se tornar um engenheiro florestal completo para executar com excelência o seu papel na preservação da fauna e da flora de sua região.

Por isso, antes de ingressar na graduação, procure uma instituição de ensino que atenda aos seus objetivos, com um corpo docente qualificado e uma infraestrutura que contribua para a sua formação de forma plena e garanta um diploma reconhecido pelo mercado, ampliando as suas oportunidades profissionais no futuro.

Agora que já está bem informado sobre a profissão de engenheiro florestal, você tem mais condições de compreender as tendências dessa carreira e escolher uma boa faculdade para estudar.

Se você gostou deste post ou tem alguma dúvida sobre a Engenharia Florestal, deixe o seu comentário e interaja com a gente!

Deixar comentário.

Share This
0