Estudos

9 mitos e verdades sobre a vida de estagiário esclarecidos

clique na imagem para se inscrever

Clique na imagem para se inscrever!!

 

Ingressar em um curso superior traz mudanças importantes para o cotidiano do estudante, que passa a ter um número maior de atividades e responsabilidades. Além de assistir às aulas, estudar as matérias, fazer os trabalhos e resolver as provas, é muito provável que, em um determinado momento da sua formação, o universitário inicie a vida de estagiário.

Por ser uma etapa fundamental do processo formativo, o estágio costuma estar cercado de informações desencontradas, muitas vezes até falsas, o que pode gerar uma confusão na cabeça do estudante universitário.

Neste texto, vamos esclarecer certos mitos e confirmar algumas verdades sobre a vida de estagiário. Você vai ver que o estágio não é um bicho de sete cabeças, podendo ser a porta de entrada para muitas oportunidades de trabalho.

1. Fazer estágio é obrigatório

Mito

Essa obrigatoriedade depende, na verdade, do Projeto Pedagógico de Curso (PPC) ao qual o aluno está vinculado. Portanto, é a instituição de ensino em que o aluno estuda que estabelece — ou não — a obrigatoriedade do estágio, especificando suas características, como carga horária mínima.

No entanto, ainda que alguns PPCs apenas recomendem a realização do estágio, a maioria deles o coloca como componente curricular obrigatório. Isso ocorre porque as universidades concebem a importância desse tipo de experiência para o futuro profissional.

2. Estágios são regidos por lei específica

Verdade

O estágio não deve ser entendido como um regime comum de trabalho, como os que são praticados no país. Em 2008, foi instituída a Lei n.º 11.788, que dispõe sobre as diretrizes para as atividades de estágio profissional no Brasil e serve como referência para as faculdades estipularem suas regras específicas.

Essa legislação é importante porque, além de regulamentar o estágio, concede garantias e benefícios para que os estudantes possam ter a oportunidade de experienciar vivências específicas de sua área de atuação no mercado de trabalho. Ou seja, trata-se do respaldo legal que o estagiário tem ao longo de sua atuação em uma empresa.

3. É possível realizar estágio na pós-graduação

Verdade

Mesmo que não seja tão comum como nos cursos superiores, é permitido que o aluno desenvolva estágio enquanto estiver cursando uma pós-graduação, tanto lato sensu — as especializações e os Master Business Administration (MBA) —, quanto stricto sensu — os mestrados e os doutorados.

Em geral, a maioria dos estágios desenvolvidos nos cursos de pós-graduação é feita em mestrados e doutorados. Isso acontece porque as universidades costumam ter programas específicos de estágio para essas modalidades de ensino, os quais tendem a disponibilizar bolsas para os estagiários, e também em razão de os cursos lato sensu serem mais curtos.

4. Estagiário tem férias

Verdade

Mesmo que o estágio não configure uma relação trabalhista típica, o universitário goza de alguns dos direitos que têm os trabalhadores, cujos empregos são regidos pelas leis trabalhistas brasileiras.

Dessa forma, completados doze meses de estágio, o universitário tem direito a tirar 30 dias de férias. O estudante deve usufruir desse direito, preferencialmente, durante o período das férias universitárias. Caso o tempo de serviço do aluno não seja exatamente 12 meses, as férias devem ser tiradas de forma proporcional.

5. As atividades do estágio são todas banais

Mito

Provavelmente, este é o maior mito de todos e que, inclusive, desmotiva muitos alunos na hora de estagiar. Em geral, as empresas têm programas bons e sérios de estágio, os quais possibilitam aos estudantes desenvolverem atividades práticas, de modo a sentirem na pele como funcionam os conteúdos das matérias que aprenderam nos livros e nas aulas ou mesmo executaram nos laboratórios.

6. O estágio pode ser remunerado

Verdade

No caso de estágio não obrigatório, as empresas oferecem uma contrapartida ao estudante em razão do serviço prestado. Geralmente, essa recompensa se dá por meio do oferecimento de bolsas, cujo valor varia com a carga horária a ser cumprida e o tipo de atividade desenvolvida.

7. Há limite de horas e dias para estagiar

Verdade

Conforme a legislação específica vigente, o estágio pode ser desenvolvido durante o período máximo de 24 meses. Essa duração só é prorrogada em casos de pessoas com deficiência.

Ao universitário é permitido atuar durante 6 horas por dia, no local do estágio, de maneira que a duração total das atividades não pode ultrapassar 30 horas semanais. Além disso, o estágio deve ser realizado entre segunda-feira e sábado, em horários que não comprometam as aulas e outros afazeres acadêmicos, que tenham horários estipulados pela instituição de ensino.

8. O estagiário sempre leva a culpa dos problemas

Mito

É inegável que o estagiário ainda está em processo de formação profissional, aprendendo rotinas de trabalho e colocando em prática o que está estudando na faculdade. Considerando essa situação, não seria de se estranhar o universitário cometer algumas falhas.

Contudo, errar é uma ação comum até mesmo para os empregados mais experientes de uma empresa, realidade que é compreendida na maior parte das corporações. Além disso, entende-se que o trabalho é sempre feito em equipe, sendo uma eventual culpa dividida entre os membros.

9. O estágio sempre leva à efetivação

Mito

O que garante o alcance de uma colocação no mercado de trabalho não é ter realizado estágio em uma determinada empresa, embora isso possa ajudar, caso o futuro profissional tenha demonstrado desempenho satisfatório. Inclusive, o estágio não representa qualquer vínculo empregatício entre a companhia e o estudante.

Além de ser um período para desenvolver a aprendizagem de habilidades práticas, o estágio é uma grande oportunidade para o universitário mostrar serviço ao supervisor e demais membros da equipe. Por isso, é fundamental que as atividades sejam desempenhadas com eficiência e sempre de forma proativa.

Como buscamos esclarecer, há mitos que não têm nada a ver com a vida do estagiário, ao mesmo tempo em que existem verdades nem sempre conhecidas pelos estudantes, as quais podem ser de grande utilidade durante a sua formação.

O mais importante é que o universitário tenha informações verdadeiras sobre o estágio para que seja capaz de aproveitar as suas atividades da melhor forma possível.

Já conhecia todas esses mitos e verdades sobre a vida de estagiário? Aproveite e compartilhe este texto em suas redes sociais e marque aqueles amigos que precisam ficar por dentro dessas informações!

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

Share This