Carreiras Estudos

9 dicas para te ajudar a escolher um curso superior [+INFOGRÁFICO NO POST]

clique na imagem para se inscrever

Clique na imagem para se inscrever!!

 

O último ano do Ensino Médio é uma das etapas mais importantes da vida de um estudante. É sinal de que o vestibular se aproxima e, com ele, a oportunidade de tomar decisões que poderão afetar todo o seu futuro, como a escolha do curso superior, a instituição de ensino em que você pretende cursá-lo e o início da sua vida profissional.

A gente sabe que esse momento pode ser tão empolgante quanto assustador, afinal, você tem uma enorme responsabilidade em suas mãos. Mas, se você chegou a essa etapa se sentindo perdido, sem saber o que quer e muito menos como decidir qual graduação cursar, esse post foi feito para você!

Nele, daremos 9 dicas que vão ajudá-lo a fazer uma autoavaliação, pesquisar melhor sobre as possibilidades disponíveis e descobrir qual curso é o ideal para você. Vamos lá?

1. Analise as suas preferências

O primeiro passo para que você consiga tomar uma decisão mais acertada com relação à sua carreira é fazer uma reflexão sobre quais são as áreas do conhecimento que você mais gosta.

Aqui, recomendamos que você faça um pequeno exercício e pense nas disciplinas cursadas durante o período de colégio: você é do time dos que adoram Matemática e Física, ou é um grande apreciador das aulas de História e Literatura? Conta os dias para treinar suas habilidades nas aulas de Inglês ou Espanhol ou prefere os exercícios no laboratório de Ciências?

A partir dessa análise, você saberá, ao menos, qual das grandes áreas do conhecimento — humanas, exatas ou biológicas — se encaixa melhor no seu perfil pessoal. E então, com isso bem definido, você conseguirá, no mínimo, eliminar muitas possibilidades e direcionar melhor as suas opções.

2. Avalie as suas habilidades

Identificar as suas habilidades pessoais é uma etapa tão importante para definir qual é o curso superior que mais se encaixa em seus objetivos quanto descobrir quais são as suas preferências.

Por isso, na hora de fazer a “triagem” dos cursos de graduação que mais despertam o seu interesse, é preciso ir além do gosto pessoal: você deve considerar quais são os seus talentos, aquilo que você faz bem, suas características positivas e também as negativas — afinal de contas, o ideal é investir nos seus pontos fortes.

Na maioria das vezes, as habilidades pessoais coincidem com as nossas preferências, no entanto, nem sempre é assim. Pode acontecer de você adorar as aulas práticas de Química, por exemplo, mas ter bastante dificuldade para lidar com as fórmulas e cálculos.

Nesse momento, você deve pensar bem se não vale mais a pena se dedicar a uma área na qual você tenha mais facilidade — e, é claro, que também te dê prazer.

3. Pense em suas expectativas e prioridades

Outro ponto importante a ser considerado na hora da escolha do seu curso de graduação é o que você planeja para o seu futuro. Para isso, é importante identificar quais são as suas expectativas de vida e o que você tem como prioridade — não só nesse momento, mas também dentro de alguns anos, em médio e longo prazo.

Um bom exercício para obter essas respostas é se questionar sobre qual é o padrão de vida que você deseja ter. Você pretende ganhar dinheiro e desfrutar de uma vida luxuosa? Ou se importa pouco com bens materiais e deseja apenas ter conforto e alguma estabilidade? Você está disposto a sacrificar suas preferências pessoais por uma carreira com maior retorno financeiro?

É necessário lembrar que, enquanto algumas profissões são mais valorizadas no mercado e pagam salários mais altos, outras têm rotinas mais tranquilas e flexíveis.

4. Conheça a fundo cada curso

Nesse ponto, você já deve ter selecionado pelo menos algumas opções de cursos de graduação, certo? Então, chegou a hora de tirar o foco de você mesmo e estudar cada uma das possibilidades de forma prática.

A internet está repleta de informações sobre os mais diversos cursos — basta uma boa pesquisa nos grandes buscadores para encontrar sites e blogs com detalhes de cada um deles, como a duração, as áreas de atuação e a grade curricular.

Outra boa maneira de saber mais sobre as opções de graduação é participar de feiras de profissões, workshops sobre carreira e o mercado de trabalho ou de eventos promovidos pelas próprias instituições de ensino, em que você pode descobrir informações importantes sobre os cursos, além de conhecer a infraestrutura da faculdade.

Em eventos como esses você poderá assistir a palestras ministradas pelos coordenadores e professores dos diversos cursos, tirar suas dúvidas diretamente com eles e conhecer mais sobre as propostas e projetos acadêmicos oferecidos.

5. Faça uma pesquisa detalhada sobre as instituições de ensino

Escolher a faculdade certa é outro ponto extremamente relevante para garantir que você tenha uma formação de qualidade e que corresponda às suas necessidades. E para ajudá-lo a fazer uma opção mais consciente, destacamos, a seguir, alguns itens importantes que devem ser observados:

Selo de aprovação do MEC

Todos os anos, o Ministério da Educação (MEC) avalia critérios específicos de qualidade das universidades e dos cursos de graduação oferecidos por elas. E, a partir dos resultados obtidos, esses cursos recebem ou não a aprovação para serem ofertados ao público.

Indicadores de qualidade

Além da aprovação pelo MEC, existem alguns outros critérios de qualidade que você deve observar na hora de fazer a sua escolha, como o Índice Geral de Cursos (IGC), que avalia a qualidade dos cursos superiores de todo o país, a nota conquistada no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE), a infraestrutura do campus e o corpo docente.

Qualificação do corpo docente

Descobrir quem são os professores responsáveis pelas disciplinas do seu curso também é um ponto importante a ser considerado na sua decisão, pois eles serão os seus guias ao longo da sua formação.

Procure descobrir informações como a quantidade de mestres e doutores que a faculdade possui, quais matérias eles lecionam, há quanto tempo, se estão envolvidos em projetos de pesquisa ou a sua experiência no mercado de trabalho.

Grade curricular

Estudar com antecedência a relação de disciplinas dos cursos é essencial para descobrir qual será a carga horária das aulas ao longo do semestre, a necessidade de realizar estágios obrigatórios e avaliar se o conteúdo do curso oferece as competências mais buscadas pelas empresas.

Atividades extracurriculares

Essenciais para promover a integração dos alunos e complementar os conhecimentos aprendidos em sala de aula, as atividades extras são excelentes diferenciais tanto para o seu currículo acadêmico quanto o profissional.

Por isso, antes de se matricular, vale a pena descobrir se a universidade possui grupos esportivos, artísticos ou projetos de pesquisa e iniciação científica que podem, inclusive, garantir a você uma bolsa-auxílio.

Bolsas de estudo ou financiamentos

Se a universidade for privada, fique de olho nas possibilidades de ingressar em programas de bolsas de estudo como o ProUni, oferecido pelo governo federal, ou institucionais, oferecidas pela própria faculdade, além das possibilidades de financiamento estudantil.

Modalidades de ensino

Um outro ponto importante é avaliar, também, as modalidades de ensino oferecidas pela instituição e verificar qual delas se encaixa melhor nos seus objetivos acadêmicos e profissionais.

Se você gosta da vida no campus e da convivência com os colegas e professores, a modalidade presencial é perfeita para você. No entanto, se você precisa de horários mais flexíveis para conciliar os estudos com outras atividades e possui disciplina para acompanhar as disciplinas e atividades online, vale a pena conhecer os cursos a distância (EAD).

6. Estude o mercado de trabalho

Como mencionamos nos tópicos anteriores, a escolha do curso ideal não se baseia simplesmente em gosto pessoal. As questões práticas também devem ser consideradas, e a situação do mercado de trabalho é um ponto que tem bastante peso.

Nesse tópico, a internet também é uma boa aliada para descobrir como andam as perspectivas para o segmento profissional que você pretende escolher, qual é a demanda por profissionais, a média de horas trabalhadas e a faixa salarial, onde estão localizadas as empresas e quais as habilidades mais procuradas por elas.

7. Converse com profissionais

Saber a opinião de quem já conhece a área de atuação na qual você pretende ingressar é uma excelente estratégia para descobrir algumas informações importantes sobre o mercado de trabalho e o dia a dia corporativo. E aqui, temos duas dicas para você:

  • converse com ex-alunos do curso que você escolheu, pois eles poderão traçar um paralelo entre os conteúdos aprendidos na faculdade, expectativas e a realidade do mundo profissional;

  • fale com parentes e conhecidos para tirar suas dúvidas e descobrir quais são as vantagens e os principais desafios de suas profissões;

  • entre em contato com empresas para passar um dia acompanhando de perto a rotina dos profissionais.

Aqui, vale a pena consultar tanto quem está no início da carreira quanto aqueles que já estão consolidados profissionalmente, pois cada um desses perfis poderá fornecer uma perspectiva diferenciada.

Dessa forma, você certamente conseguirá reunir informações importantes que podem ajudá-lo — e muito — a fazer a sua escolha e descobrir qual é a profissão que mais combina com o seu perfil!

8. Faça testes vocacionais

Além das sugestões que apresentamos nos tópicos anteriores, uma excelente ferramenta para trabalhar o seu autoconhecimento e que, certamente, vai ajudá-lo a tomar uma decisão mais consciente sobre o melhor curso de graduação é um teste vocacional.

É importante destacar que existem inúmeros tipos de testes e que muitos deles são disponibilizados gratuitamente na internet ou até mesmo pelas instituições de ensino superior. Por isso, procure fazer uma pesquisa uma pesquisa em sites confiáveis, converse e peça a orientação da equipe pedagógica e da direção da sua escola, se for o caso.

Outra boa opção é buscar a ajuda de profissionais especializados em orientação vocacional, como psicólogos, psicopedagogos e coaches.

Eles farão um trabalho personalizado e mais aprofundado a partir de questionários, exercícios e outras técnicas diversas para que você consiga identificar com maior clareza as suas características pessoais, preferências e habilidades que influenciarão na escolha do curso ideal.

9. Conheça alguns dos cursos de cada área

Agora que você já conferiu as nossas dicas para ajudá-lo a escolher o curso superior ideal, vamos listar algumas das principais opções dentro de cada área de conhecimento para dar um empurrãozinho a mais na sua decisão:

Biológicas

Também conhecido como área da saúde, o segmento das ciências biológicas engloba cursos ligados aos cuidados com o ser humano e à manutenção do bem-estar, como: Medicina, Enfermagem, Psicologia, Odontologia, Nutrição, Fisioterapia, Educação Física, Farmácia e Biologia.

Exatas

Para quem se dá bem com cálculos e fórmulas, a área de exatas oferece um amplo leque de opções, como Matemática, Física, Química, os diversos tipos de Engenharia — Mecânica, Elétrica, Civil, entre outras — além dos cursos relacionados à computação e ao desenvolvimento de novas tecnologias.

Humanas

Esta é a área de conhecimento mais ampla entre as que citamos aqui, e pode ser dividida em subcategorias como:

  • Administração e negócios, com cursos como Administração de Empresas, Economia, Ciências Contábeis, Gestão Pública e Turismo;

  • Artes e design, em que se enquadram opções de graduação como Moda, Música, Dança, Artes Cênicas, Artes Visuais e Fotografia;

  • Ciências sociais e humanidades, onde estão os cursos de Direito, História, Filosofia, Sociologia, Pedagogia e Letras;

  • Comunicação, englobando a graduação em Publicidade e Propaganda, Jornalismo, Rádio e TV e Relações Públicas.

Essas são apenas algumas das opções que você poderá encontrar em cada área de atuação, porém, na prática, existe todo um universo de possibilidades à sua escolha. Por isso, esperamos que as dicas de hoje possam ajudar você na escolha do curso superior que mais corresponda aos seus objetivos profissionais.

Mas não se esqueça: nada na vida é definitivo, ok? Então, se você descobrir que a graduação escolhida não é bem o que você esperava, não tenha medo de mudar de ideia e escolher outra formação que se encaixe melhor no seu perfil e que corresponda aos seus objetivos pessoais e profissionais, permitindo que você desenvolva verdadeiramente as suas habilidades.

Ah, aproveite para compartilhar esse post nas suas redes sociais para ajudar aqueles seus amigos que estão precisando de uma força extra para fazer a escolha do curso superior ideal!

 

Tudo que você precisa saber sobre a jornada estudantil em um curso superior

 

 

 

 

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

Share This