Estudos

Quais os critérios de avaliação da redação do ENEM?

quais-os-criterios-de-avaliacao-da-redacao-do-enem.jpeg

Basta o assunto ser critérios de avaliação de redação para a polêmica entrar pela porta da sala! Alguns se revoltam com a impossibilidade de saber o motivo da nota. Outros simplesmente não entendem por que alguns textos alcançam uma ótima pontuação enquanto outros afundam.

Neste post, vamos mostrar que, apesar de a interpretação ser algo subjetivo, existe muita lógica nos critérios de avaliação adotados pelo ENEM. Explicaremos como a redação é avaliada pelos que corrigem a prova e o que pode ser motivo de anulação. Continue com a gente para tirar suas dúvidas!

Critérios de avaliação bem específicos

Apesar das críticas, são poucos os concursos que apresentam seus critérios de avaliação da redação de forma tão clara quanto o ENEM. Conhece a Cartilha do Participante? Não? Então já começou errado! Nela você encontra tudo sobre a redação de forma bem detalhada, além de exemplos de textos que foram nota 1000 em outras edições.

Vamos aqui dar uma resumida nas informações que estão lá para você começar a se inteirar do assunto (é claro que, como bom aluno que você é, esperamos que use a cartilha para estudar para a redação!).

Agora, um ponto importante: as informações que vamos compartilhar são baseadas na cartilha de 2016. Assim que tiver acesso à edição de 2017, dê uma conferida para ver se foram feitas alterações.

Como é feita a pontuação?

Sua redação será avaliada por dois professores que vão corrigir sua prova de acordo com 5 competências preestabelecidas pelo ENEM (falaremos sobre isso mais adiante). Cada uma vale de 0 a 200, totalizando 1000 pontos. Das duas notas que sua prova recebeu será feita uma média.

Se a diferença entre uma correção e outra for maior que 100 pontos no total ou em 80 pontos em qualquer uma das competências, entra em cena um terceiro avaliador e a média será feita entre as notas que mais se aproximarem.

Se mesmo assim ainda houver discrepância, uma banca presencial, composta por três professores, vai avaliar mais uma vez a redação. Eles também são responsáveis por validarem casos de nota máxima.

As 5 competências avaliadas

Como dissemos, as competências atribuídas ao texto têm o mesmo peso e juntas vão formar a nota final. Elas vão avaliar o domínio da língua portuguesa, a compreensão do tema, a forma como são organizadas as informações, o conhecimento linguístico para desenvolver uma argumentação e a capacidade de elaborar propostas coerentes.

Vamos entender melhor cada um desses critérios de avaliação a seguir.

Domínio da escrita formal em língua portuguesa

Nesse quesito é avaliada a capacidade do candidato de saber a diferença entre o registro formal e informal da nossa língua, bem como seus conhecimentos gramaticais. A pontuação varia de acordo com a tabela abaixo:

PONTOS

     AVALIAÇÃO

200

Domínio excelente da escrita formal em português. Pequenos erros gramaticais ou de convenções são aceitos excepcionalmente.

160

Bom domínio da língua portuguesa com poucos desvios.

120

Domínio mediano, com alguns desvios gramaticais e de convenções do registro em língua portuguesa.

80

Domínio insuficiente da língua portuguesa, com muitos desvios.

40

Domínio precário, com desvios sistemáticos de gramática e convenções da escrita.

0

Desconhecimento da escrita formal em língua portuguesa.

Compreensão do tema e aplicação das áreas de conhecimento

Essa competência avalia se você entendeu a proposta da redação e se consegue desenvolver suas argumentações usando o conhecimento aprendido no ensino médio. Os corretores esperam que você tenha uma posição a ser defendida e não simplesmente exponha alguns fatos sobre o tema. Os pontos são distribuídos da seguinte forma:

PONTOS

     AVALIAÇÃO

200

Apresenta uma argumentação consistente, com repertório sociocultural e um domínio excelente do texto dissertativo-argumentativo.

160

Bom domínio do estilo dissertativo-argumentativo e considerações consistentes.

120

Fundamentação previsível e conhecimento mediano do texto dissertativo-argumentativo.

80

Pouco conhecimento de estrutura de texto proposta, fazendo uso de trechos dos textos motivadores.

40

Tangencia o tema e tem conhecimento precário do estilo dissertativo-argumentativo, chegando a usar outras formas textuais.

0

Fuga ao tema ou texto não compatível com a estrutura dissertativo-argumentativa — motivo para anulação da prova.

Capacidade de interpretação das informações e organização dos argumentos

Neste ponto, o avaliador vai verificar se você consegue expor o seu posicionamento com argumentações claras e lógicas. Em outras palavras, se existe coerência em sua redação. Para isso, eles vão atribuir pontos da seguinte forma:

PONTOS

     AVALIAÇÃO

200

Defende um ponto de vista com informações, fatos e opiniões de forma consistente e organizada, configurando autoria.

160

Defende uma tese de forma organizada, com indícios de autoria. Capaz de apresentar opiniões, fatos e informações relacionados ao tema.

120

Limita-se aos textos motivadores para apresentar opiniões, fatos e informações, defendendo seu ponto de vista de forma pouco organizada.

80

Apresenta argumentações limitadas aos textos motivadores, mas de forma desorganizada ou contraditória.

40

Não defende um ponto de vista e apresenta argumentação pouco relacionadas ao tema.

0

Não defende um ponto de vista e os fatos, informações e opiniões não estão relacionados ao tema.

Domínio dos mecanismos linguísticos de argumentação

Existem palavras na língua portuguesa que são responsáveis por ligar ideias. Essas palavras evitam repetições desnecessárias. O texto ficou estranho? É porque faltaram algumas conjunções, advérbios e locuções adverbiais que são responsáveis pela coesão do texto, ou seja, o encadeamento de ideias que facilita a leitura. Neste quesito, a pontuação é dividida assim:

PONTOS

     AVALIAÇÃO

200

Sabe articular as partes do texto com uso diversificado de recursos de coesão.

160

Tem um repertório diversificado de recursos de coesão, articulando bem o texto, apresentando poucas inadequações.

120

Coesão pouco diversificada, articulando o texto de forma mediana.

80

Articula o texto de forma insatisfatória, limitado em coesões, com muitas inadequações.

40

Articula precária do texto.

0

Não articula informações.

Capacidade de conclusão com propostas coerentes que respeitem os direitos humanos

Para os avaliadores do ENEM, não basta apresentar argumentos, é preciso apontar soluções plausíveis para o problema, que estejam em sintonia com os direitos humanos. Veja como a pontuação é distribuída:

PONTOS

     AVALIAÇÃO

200

Consegue apresentar proposta detalhada, coerente e relacionada à argumentação desenvolvida na redação.

160

Apresenta proposta relacionada ao tema e articulada com a argumentação desenvolvida.

120

Proposta de intervenção mediana, mas articulada com a argumentação desenvolvida no texto.

80

Proposta insatisfatória ou não articulada com a argumentação desenvolvida.

40

Proposição vaga ou simplesmente citada.

0

Ausência de proposta de intervenção ou sem relação com o tema.

O que pode zerar a provar?

Também é importante ficar ligado no que pode levar a uma nota zero ou anulação da redação. Como já explicamos, se você fugir ao tema ou deixar de escrever dentro da estrutura dissertativo-argumentativa, vai ver seu esforço ir pelo ralo.

Outros motivos que podem zerar a prova é o texto com menos de 7 linhas e a redação em branco (mesmo que você tenha entregado o rascunho).

Cópia de trechos dos textos motivadores ou partes propositalmente desconectadas, desenhos e ofensas também não são toleradas. E, é claro, quem desrespeita os direitos humanos terá sua prova anulada.

Procuramos fazer um resumo dos critérios de avaliação para a redação do ENEM. Agora você já pode começar a se exercitar para fazer um texto capaz de impressionar seus avaliadores. Ainda tem dúvidas? Deixe seu comentário aqui no post!

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

Deixar comentário.

Share This