Estudos

Mensalidade da faculdade: 4 dicas para estudantes para pagar sem stress

mensalidade-da-faculdade-4-dicas-para-estudantes-para-pagar-sem-stress.jpeg

A família está com as contas apertadas, você está terminando o ensino médio e pensando como pagar a mensalidade da faculdade? Não deixe que isso tire seu foco da aprovação no vestibular, porque pagar sua graduação é perfeitamente possível.

Basicamente, você tem 4 formas de conseguir pagar as mensalidades sem aperto: reorganizando seu orçamento, trazendo novas rendas mensais, sendo aprovado em algum plano de financiamento estudantil ou ganhando uma bolsa de estudos da própria instituição.

Vamos ver em detalhes cada um desses caminhos? Então confira agora e faça seu sonho se tornar real com estratégia e planejamento!

1. Organizando suas finanças

Essa dica vale, basicamente, para quem está trabalhando, mas não vê o resultado de seu esforço na conta bancária. Comece colocando todas as suas despesas e receitas em uma planilha. Ou, melhor ainda, em um software de orçamento doméstico.

Controlar o que você ganha é uma questão de hábito. E não tê-lo faz seu dinheiro evaporar. Sabia que mais de 40% dos brasileiros não sabem bem quanto ganham, e cerca de 34%, não sabem quanto gastam todos os meses?

Vamos lá, coloque todos os seus ganhos e gastos na planilha, sem desprezar o cafezinho, a saidinha do sábado à noite ou aquela pizza com os amigos. Separe suas despesas em 3 categorias: necessárias, úteis e supérfluas.

Veja quais desses gastos supérfluos você pode cortar. Ligue também para todos os fornecedores de serviços mensais (como TV a cabo, plano de dados e academia), buscando renegociar os valores cobrados — ou fale com os seus pais para fazer isso, caso eles sejam os responsáveis pela conta. Uma simples ligação costuma resultar em descontos de até 50%. E isso pode fazer a diferença na hora de pagar a mensalidade da faculdade.

2. Buscando novas receitas

Se você mexeu e remexeu em suas finanças e não viu nenhuma luz no fim do túnel, o plano B é acrescentar novas rendas para você. Algumas possibilidades:

Prestar serviços que aproveitem suas habilidades

Com certeza há algo que você sabe fazer, que seria de interesse de outras pessoas. Por exemplo, se você fala inglês, pode dar aulas particulares. O mesmo vale caso você saiba dançar, tocar algum instrumento musical ou domina alguma atividade esportiva (como artes marciais). Você pode também dar aulas de reforço em alguma disciplina que você conheça bem.

Caso você tenha alguma dessas habilidades, é possível anunciar seus serviços em sites específicos, como o Superprof. Pode ter certeza de que sempre haverá alguém querendo aprender o que você conhece. E, de quebra, isso vai te ajudar (muito) a pagar a mensalidade da faculdade!

Quem fez ensino médio técnico, em alguma área específica, também pode tirar vantagem nesse momento crucial da vida: um técnico em Design Gráfico, por exemplo, pode conseguir excelentes vagas como freelancer em sites como 99Freelas, GetNinjas, 99Designs e WeDoLogos.

Veja se é possível trabalhar em sua própria faculdade

Não são poucas as instituições de ensino superior que contratam seus próprios estudantes para alguns postos administrativos, como recepção na biblioteca ou monitoria em salas de aulas.

Informe-se na Seção de Alunos de sua faculdade se há algum programa para contratação de alunos, uma vez que essas vagas oferecidas costumam ser de meio período e, em geral, são perfeitas para serem conciliadas com seus estudos (você não terá que perder horas por dia no deslocamento trabalho-faculdade, por exemplo).

Aproveite sua matrícula na faculdade para já começar um estágio na área

Vencer na vida exige coragem. Muitos estudantes conseguiram pagar a mensalidade da faculdade tomando dinheiro emprestado para matrícula, acreditando que o início da graduação abriria mercado para fazer um estágio e, desde cedo, já começaram a atuar na área. Trata-se de uma ação audaciosa, mas bastante inteligente.

Como a maior parte das empresas e escritórios não costumam contratar estudantes do 1º ano, uma dica especial é voltar suas atenções, nos 2 primeiros anos, aos processos seletivos dos órgãos públicos (porque estes, usualmente, não fazem exigências quanto à experiência e/ou tempo de graduação).

Isso vale, especialmente, a quem quer fazer Bacharelado em Direito, com relação às frequentes contratações de estagiários pelo Tribunal de Justiça, Tribunal Regional do Trabalho, Tribunal Regional Federal etc. Fique de olho nesse caminho mais curto para encorpar sua renda e pagar a mensalidade da faculdade com muito mais segurança!

3. Indo atrás de financiamentos

Bom, você tentou organizar suas contas, mas viu que não sobrou nenhum dinheiro; buscou também encontrar novas formas de renda, mas, até agora, nenhum resultado positivo. O momento então é pleitear auxílio governamental, seja por meio do Prouni ou do FIES.

Tente uma bolsa por meio do Prouni

Muitos estudantes desconhecem esse viés, mas é possível solicitar bolsa no Programa Universidade para Todos (Prouni) mesmo durante o curso! O processo é o mesmo de quem ainda está buscando a conquista da vaga em alguma universidade: você deve fazer o ENEM, obter nota igual ou superior a 450, não zerar na redação e não ter um diploma de curso superior.

Você também precisa atender a pelo menos um dos seguintes requisitos:

  • Ter cursado ensino médio completo em escola pública;

  • Ter cursado ensino médio em instituição privada com bolsa integral;

  • Ter feito parte do ensino médio em escola pública e o restante em instituição particular com bolsa integral;

  • Apresentar alguma deficiência;

  • Ser professor da rede pública de ensino.

Há ainda regras ligadas à sua condição socioeconômica:

  • Renda familiar máxima de até 1,5 salário mínimo para bolsa integral (100% da mensalidade);

  • Renda familiar máxima de até 3 salários mínimos para bolsa parcial (50% da mensalidade).

Tente um financiamento com o FIES

Lançado em 1999, o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é um programa do Governo Federal voltado a auxiliar estudantes de baixa renda a pagar uma universidade particular.

As condições para participação no FIES são similares ao Prouni: renda familiar bruta mensal de até 3 salários mínimos, nota mínima de 450 no ENEM e nota acima de zero na redação.

As baixas taxas de juros (incomparáveis em relação às taxas praticadas no mercado em empréstimos pessoais e financiamentos estudantis privados) e o prazo extremamente longo para quitar a dívida, são alguns dos atrativos desse programa.

Vale a pena lembrar que o governo mudou novamente as regras do FIES para 2018. Veja aqui o que foi alterado.

4. Ganhando um desconto diretamente na faculdade

Algumas instituições de ensino superior são tradicionais pelos seus resultados em campeonatos esportivos, oferecendo bolsas de estudo aos alunos que participam regularmente de treinos e competições (representando a faculdade).

Outras, possuem política de concessão de bolsas de estudos, com base no perfil socioeconômico ou mediante a aprovação em um processo seletivo interno. Seja qual for a motivação, vale a pena buscar informações sobre esses descontos, já que é uma forma mais tranquila de pagar a mensalidade da faculdade ao longo do curso.

Agora que você terminou a leitura deste post, assine nossa newsletter e receba gratuitamente em seu e-mail dicas e conteúdos exclusivos sobre carreira, estudos e muito mais!

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

Deixar comentário.

Share This