Direito

Carreiras no direito: quais as principais especializações e áreas de atuação?

carreiras-no-direito-quais-as-principais-especializacoes-e-areas-de-atuacao.jpeg

Quando chega a hora de escolher o que cursar na faculdade, muitos estudantes ficam “perdidos”, não sabendo exatamente quais carreiras podem conciliar as suas aptidões e aspirações para o futuro.

Uma área que tem muitos interessados é o Direito, pois oferece um leque amplo de carreiras. Mas você sabe realmente quais são elas?

Para explicar melhor o assunto, preparamos este texto, que mostrará as 7 principais especializações e áreas de atuação das carreiras no Direito. Confira!

1. Carreira acadêmica

Aquele que se forma em Direito torna-se bacharel. Com esse título poderá ministrar aulas sobre as disciplinas envolvidas na matéria, como Direito Civil, Penal, Constitucional, Ambiental etc.

O profissional poderá ser contratado como professor ou tutor por instituições públicas ou privadas, faculdades, universidades ou cursos preparatórios para a prova da OAB ou concursos públicos.

Contudo, na hora da contratação as instituições analisam o currículo de cada profissional e, em alguns casos, podem dar preferência para aqueles que possuem especialização, mestrado, doutorado ou pós-doutorado. Portanto, os requisitos para estar nessa carreira dependerão de cada instituição de ensino.

O estudante pode começar a se preparar para essa carreira ainda na faculdade com as atividades de extensão, como monitorias, congressos, publicações de artigos, entre outros, facilitando o ingresso no mercado de trabalho e nos cursos de pós-graduação.

2. Carreira de juiz

A magistratura é uma carreira que muitos estudantes de Direito almejam, pois traz estabilidade, um bom salário e a possibilidade de julgar os processos buscando a justiça. Porém, são várias as responsabilidades do juiz, que deve manter os processos com rápido andamento e decidir questões difíceis.

O juiz tem diversas funções, entre elas: julgar as demandas de sua competência; trazer uma solução rápida — dentro do possível e da lei — para os conflitos de interesses entre as partes; buscar o acordo e a conciliação nos processos.

Ainda, nessa carreira existem diferentes áreas de atuação, além de existirem juízes estaduais e federais. Os juízes estaduais, ou da justiça comum, julgam os casos relacionados a pessoas físicas, jurídicas e o poder público estadual e municipal. Já os juízes federais, julgam os casos que versam sobre interesse da União, relacionados ao Direito do Trabalho e Eleitoral.

Existem alguns requisitos para ingressar na carreira: é preciso ser bacharel em Direito, comprovar pelo menos 3 anos de experiência em atividade jurídica e ser aprovado em concurso público. Esse concurso é de provas e títulos, e possui fases escritas e orais, que avaliarão o conhecimento em relação à atividade.

3. Carreira de advogado

A advocacia é, provavelmente, uma das mais conhecidas carreiras no direito. O advogado pode ter várias atribuições e atuar em diversas áreas, podendo atender diferentes clientes como autônomo ou associado, ou ser empregado de algum escritório de advocacia ou empresa, trabalhando com a carteira assinada e realizando as atividades que competem ao seu cargo.

A função principal do advogado é defender os interesses de seu cliente em ações judiciais ou prestar consultorias sobre assuntos que envolvam a legislação, podendo atuar tanto no momento de propositura das ações, quanto na defesa.

Para ingressar na carreira é preciso ter formação em Direito e prestar a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), composta por duas fases de caráter eliminatório.

A primeira etapa tem 80 questões objetivas, sendo necessário acertar pelo menos 40 para obter a aprovação. A segunda é formada por questões discursivas, além de ser preciso elaborar uma peça processual. Para ser aprovado é preciso fazer pelo menos 6 pontos.

Após a aprovação, e com o diploma em mãos, é possível requerer a inscrição perante a OAB para poder exercer a profissão de advogado.

4. Carreira de defensor público

O defensor público é o profissional que defende os interesses dos cidadãos que não podem pagar por um advogado nos processos judiciais.

Ele é um funcionário público, e pode ser federal ou estadual, mas não defenderá o Estado, mas, sim, o indivíduo que estiver precisando de defesa judicial e o procurar.

Para simplificar, o defensor público pode ser considerado um advogado concursado, que receberá o seu salário do poder público, e defenderá os interesses nos processos daqueles que não podem pagar por advogados. Mas não confunda: os defensores públicos não precisam ser aprovados no exame da OAB.

Os requisitos para essa carreira são: ser bacharel em Direito, obter aprovação em concurso público e comprovar experiência em atividade jurídica.

5. Carreira de promotor de justiça

O promotor de justiça é o representante do Ministério Público nos processos e tem o papel de acusador nas ações penais. Pode-se dizer que sua função é “promover a justiça”, pois a sua atuação é em defesa dos interesses da sociedade, procurando sempre garantir a justiça e observância dos direitos sociais.

O promotor não atua em todos os processos: a lei e a Constituição Federal é que dizem em quais ações ele deve se envolver. Ainda, em algumas situações ele serve como fiscal da lei, somente se manifestando no processo sobre a legislação e regularidade, sem defender qualquer parte do processo.

Para ser promotor, é necessário ser bacharel em Direito, prestar um concurso público específico e ter, também, pelo menos 3 anos de experiência em prática jurídica. Esse profissional é vinculado ao poder público.

6. Carreira de oficial de justiça

O Oficial de Justiça trabalha como um auxiliar nos fóruns ou tribunais. É ele quem faz diligências de execução de mandados judiciais e atos processuais de natureza externa, de acordo com o que a legislação estabelece.

Ou seja, quando há um mandado de citação, intimação, penhora, entre outros, é o Oficial de Justiça que se desloca ao endereço indicado no mandado e realiza o ato. Esse profissional tem fé pública, portanto ele precisa apenas declarar e afirmar o que ocorreu quando compareceu ao local, não precisando provar documentalmente.

Para ser oficial de justiça é preciso ser bacharel em Direito e prestar concurso público. O oficial de justiça é, na verdade, um analista judiciário que desempenha as atividades externas específicas do cargo, portanto, no concurso podem haver vários cargos de analista, sendo um deles o de oficial de justiça.

7. Carreira de delegado de polícia civil

O Delegado de polícia civil também é uma carreira muito conhecida e aspirada. É ele o responsável pela delegacia de polícia, que pode ser estadual ou federal, dependendo do órgão vinculado.

Ele é um funcionário público e tem várias atribuições, como presidir os inquéritos policiais — que são as investigações dos crimes —, requisitar perícias, apreender objetos que tenham ligação com as investigações etc.

Para ser delegado de polícia é necessário que o candidato seja bacharel em Direito e preste um concurso público para o cargo, que pode ser estadual ou federal; após a aprovação ele fará um curso, oferecido pela própria polícia, para que se torne apto para o exercício da função.

Como você pode ver, são várias as possibilidades de carreiras no Direito, e quem cursar essa faculdade poderá no futuro escolher entre muitas opções. Gostou deste post? Se quiser ficar por dentro de mais conteúdos como esse, assine a nossa newsletter!

Sobre o autor

Faculdade de Rondônia

1 comentário

  • Excelente texto mais uma vez!

    É importante mencionar o crescente mercado também de law-techs mundiais, exigindo capacitação não apenas jurídica dos jovens profissionais, mas também visão tecnológica.

    Aproveitando a relevância do tema, aos alunos interessados em vagas de estágio nesta área, enviar currículo em: https://modeloinicial.com.br/

    Abraço a todos.

Deixar comentário.

Share This